17 maio 2009

Dificuldade de aprendizagem: um desafio para o professor.




É um grande desafio para o professor ou para qualquer profissional interessado no ensino/aprendizagem identificar, compreender e solucionar tais dificuldades.
Muitas vezes nos deparamos com dificuldades que não identificamos, como pais, aprendizes, professores, enfim, em muitos momentos rotulamos nossas crianças e jovens de inquietos, perturbados, desatentos e simplesmente deixamos de olhar para eles.
Olhar pra um ser humano que apesar de pequeno também tem problemas a serem resolvidos e observados, e sobretudo a serem cuidados. Com tal falta de observação e descaso matamos literalmente o aprendizado dessas crianças, deixando as no limbo do conhecimento.
Tais dificuldades somam um percentual cada vez maior dentre nossos alunos, por isso é importante que exercitemos a observação na sala de aula como foco principal de aprendizagem e ensino.
Ao observarmos podemos traçar metodologias e identificar tais problemas ajudando nossos alunos a trabalharem isso em si mesmos e aprenderem sem traumas nem rótulos futuros o que lhes for sugerido.
Aqui vão algumas dicas sobre como identificar tais dificuldades para que haja uma menor rotulação e maior atenção no que tange a tão esperada aprendizagem.
Conforme solicitado na enquete começaremos nossas postagens com o assunto mais votado, e aos poucos postarei com simplicidade características e maneira de identificar tais dificuldades em sala de aula ou fora dela.
Caso desejem informações mais específicas tais como; sugestões de atividades e maneira de lidar com as crianças que apresentam essas dificuldades, não exitem em me contatar, será um prazer poder colaborar com profissionais que tais como eu, estão envolvidos no real processo de ensino/aprendizagem focando o desenvolvimento benéfico de nossos alunos.
Tudo que for postado aqui é tirado de literatura e ao fim do artigo postarei as referências bibliográficas.

Comecemos então a falar sobre as dificuldades de aprendizagem, suas características e o que são realmente.

Discalculia
É uma dificuldade provocada por má formação neurológica e que se manifesta como uma limitação da criança ao realizar operações matemáticas, classificar números e colocá-los na seqüência correta. Em crianças maiores, ela também impede a compreensão dos conceitos matemáticos e a sua incorporação na vida cotidiana.
Se a discalculia não for detectada a tempo, poderá comprometer o desenvolvimento escolar de maneira mais ampla, colocando a criança numa situação de baixa auto-estima e medo.
Para ajudar, indique um psicopedagogo, pois ele irá iniciar com uma melhora da auto-estima da criança, valorizando as atividades da mesma e em seguida descobrirá como é o seu processo de aprendizagem, que muitas vezes é diferente do habitual. A partir daí fica fácil ajudar, pois uma porta se abre e é só colocar exercícios neuromotores e gráficos para trabalhar os símbolos.
Veja as dificuldades da discalculia, mas cuidado para não nomear um aluno sem ter certeza, pois cada criança tem um jeito de se desenvolver.

EM CRIANÇAS DE 3 A 6 ANOS OCORREM:
- problemas em nomear quantidades matemáticas, números, termos e símbolos;
- insucesso ao enumerar, comparar e manipular objetos reais ou em imagens;
- leitura e escrita incorreta dos símbolos matemáticos

Disortografia
É a dificuldade em visualizar a forma correta da escrita das palavras, pois a criança escreve conforme os sons da fala e sua escrita torna-se muitas vezes incompreensível.

Suas características são:
- troca de grafemas;
- falta de vontade para escrever;
- dificuldade para perceber sinalizações gráficas;
- dificuldade no uso de coordenação/ subordinação das orações;
- textos muito reduzidos;
- aglutinação ou separação indevida das palavras.

Uma das formas de se observar se a criança tem ou não disortografia, é na realização de ditado, pois é ali que apresentam trocas relacionadas à audição.
Portanto, não adianta trabalhar por repetição, mas usando a lógica, quando possível, e a conscientização da audição, em outros casos (ex.: s e ss, i e u, etc.).

Dislexia
É a dificuldade em aprender a ler, escrever e soletrar, sendo assim, uma pessoa disléxica lê com dificuldade e soletra muito mal, pois é difícil para ela assimilar palavras. Isso não quer dizer que ela seja menos inteligente, muito pelo contrário, muitas pessoas famosas são disléxicas, como no caso de Thomas Edison que inventou a lâmpada.
As causas da dislexia são neurobiológicas e genéticas, portanto é hereditário, se uma criança é disléxica, com certeza alguém de sua família também é.
O primeiro sinal possível de dislexia, e que pode ser detectado, é em relação a grande dificuldade que a criança tem em assimilar o que é ensinado. Outra forma de saber é observando se elas confundem letras com grande freqüência, em crianças menores (Educação Infantil) observe se elas têm dificuldades em rimar palavras e reconhecer letras e fonemas, já nas maiores (Primeira série) existe a dificuldade em ler palavras simples, em identificar fonemas e há reclamações de que ler é muito difícil. A partir da segunda série até a quinta série, a criança tem dificuldade em soletrar, ler em voz alta e memorizar palavras.
A dislexia só é curada com um tratamento apropriado, num especialista e com muita paciência. Não existe um tratamento adequado a todas as pessoas, pois um é diferente do outro, mas na maioria o tratamento consiste em enfatizar a assimilação de fonemas, o desenvolvimento do vocabulário, a melhoria da compreensão e fluência da leitura.

Como Saber se Seu Aluno é Disléxico
Crianças entre 3 e 6 anos

1-Ele insiste em falar como um bebê?
2-Freqüentemente pronuncia palavras de forma errada?
3-Não reconhece as letras que soletram o seu nome?
4-Tem dificuldade em lembrar o nome de letras, números e dias da semana?
5-Demora para aprender novas palavras?
6-Tem dificuldade em aprender rimas infantis?

Crianças entre 6 e 7 anos
1-Tem dificuldades em dividir palavras em sílabas?
2-Não consegue ler palavras simples e monossilábicas?
3-Comete erros de leitura que demonstram dificuldade em relacionar letras e sons?
4-Apresenta dificuldade em reconhecer fonemas?
5-Reclamam que ler é difícil?
6-Comete erros freqüentemente quando escreve e soletra palavras?
7-Memoriza textos sem compreendê-los?

Crianças de 7 a 12 anos
1-Comete erros ao pronunciar palavras longas ou complicadas?
2-Confunde palavras de sons semelhantes como ”tomate e tapete?”
3-Utiliza muito palavras vagas como “coisa”?
4-Tem dificuldades em memorizar datas, nomes ou números de telefone?
5-Pula partes das palavras que tem muitas sílabas?
6-Troca palavras difíceis ao ler em voz alta? Exemplo: carro invés de automóvel.
7-Comete muitos erros de ortografia?
8-Escreve de forma confusa?
9-Não consegue terminar as provas?
10-Sente muito medo de ler em voz alta?

Dislalia
Consiste na presença de erros na articulação dos sons da fala, que podem ser omissões, trocas de posição de fonemas, assimilações de outros fonemas e acréscimos de fonemas inexistentes na palavra.
Pode ser causada por ambiente familiar inadequado, imitação, falta de estímulos, hereditariedade, bilingüismo, dificuldades no desenvolvimento auditivo, atraso no desenvolvimento motor e atraso de maturação neurológica.

Alguns exemplos de dislalia:
- ao invés de falar bola, fala póla;
- ao invés de porta, poita;
- ao invés de preto, peto;
- e assim por diante.

Se a criança for corrigida pelos professores, ela poderá se sentir criticada, portanto deve-se encaminhar para a fonoaudióloga assim que detectada a dislalia, mas muito cuidado, pois crianças muito pequenas tendem a falar errado e, portanto devemos avaliar bem se realmente a criança tem problema na fala ou se é somente uma fase.

Disgrafia
É uma perturbação que afeta a qualidade da escrita em relação ao traçado e a grafia. A disgrafia só pode ser diagnosticada depois dos seis anos, após a criança ter entrado na escola e adquirido a linguagem escrita.
As causas podem ser orgânicas (problemas no desenvolvimento da lateralidade, motricidade e equilíbrio), emocionais (personalidade ou meio onde vive) e pedagógicas (metodologias de ensino que contribuem).
A criança que tem disgrafia apresenta dificuldade em escrever, em segurar um lápis, e se observarmos o caderno dela veremos que os textos têm a mesma aparência, com letras muito grandes, inclinação acentuada, espaços irregulares entre as palavras, com caligrafia irregular e ilegível.
Ao suspeitar que uma criança tenha disgrafia, procure um profissional qualificado como psicólogo ou psicopedagogo e peça uma avaliação. Você também pode ajudar trabalhando com a motricidade fina (recortes, colagens, picotagens, etc.) ou com a orientação visual espacial (labirintos, jogos de simetria e de diferenças).

"Observar é tudo e agir para mudar tal realidade, depende somente de você."

São muitas as dificuldades de aprendizagem e aos poucos postarei sobre todas tal como prometi, no decorrer de nosso papo virtual indicarei livros e filmes para que haja maior compreenção sobre elas e a importância da avaliação e identificação precoce, para que com isso consigamos sanar esse problema atual em nossas crianças e jovens.

11 comentários:

Laís disse...

Parabéns pelo seu blogger. É muito bom saber que ainda há pedagogos dedicados e que tentam passar um pouco do conhecimento que tem para outras pessoas. Esse seu post sobre dificuldade de aprendizagem esta me ajudando muito a esclarecer algumas duvidas a respeito deste tema. Sou estudante de pedagogia e agradeço a sua dedicação a respeito do esclarecimento a muitos estudantes como eu e tambem a professores atuantes que muitas vezes nao conseguem perceber que a criança que ele esta encarregado de instruir esta passando por certas dificuldades de aprendizagem.

Amanda Patrícia disse...

Boa tarde querida!
Me chamo Amanda,tenho uma aluna que escreve tudo do quadro e a letra dela e linda mas ela nao desenvolve na leitura tem 3 anos que ela faz o 1 ano e estou com um pouco de dificuldades em trabelhar com ela. Vc pode me ajudar? Se derrepente vc tiver como me ajudar com atividades ou jogos que possa desenvolver este tipo de crianca, manda p mim por favor, estou muito preocupada com ela que ja passou por varias psicologas e as mesmas disseram que o cerebro dela nao desenvolveu para a idade dela a mente dela e como se fosse de uma crianca de 4 anos e ela vai completar 8.
grata! AMANDA prfessora da ed.inclisiva de Porangatu
amandapatricia35@gmail.com

fiedler33 disse...

Adorei o seu post, obrigada pela dedicação - Gostaria de saber se vc poderia me dar uma orientação... tenho uma criança de 5 anos que é minha vizinha e acredito que ela tem dificuldade de aprendizado. Fazem 4 semanas que estou tentando ensina-la contar de 1 `a 5 e ela simplesmente nao consegue aprender. Ela tambem ainda nao fala corretamente, diz quase todas as palavras iniciadas por " t" tum ela, tudo totoso - coisas assim. Como ela nao é da minha familia não posso passar por cima dos pais, que ignoram o problema e buscar uma solução, mas gostaria muito de ajudar e não sei por onde começar.
Erica
hf90755@yahoo.co.uk

maria aparecida disse...

Parabens,pelo artigo,o qual é de extrema relevância em especial a graduandos em pedagogia que é o meu caso,ummuito obrigada por essa preciosa colaboraçao.

atenciosamente:
cida silva.
.

Malu disse...

Oi flor, bom dia! Não sou professora (ainda), mas sou uma mãe que está muito preocupada. Minha filhota de 6 anos está aprendendo a ler e está apresentendo muita dificuldade, e pelo que li sobre dislexia to achando que pode ser. Porém tem algumas observações importante que eu gostaria de te passar pra ver se você poderia me ajudar. Vou deixar meu e-mail, é mlknoller@hotmail.com

Seu blog é muito interessante, gostaria de parabenizá-la! Um grande abraço!

Danny Arte Biscuit disse...

Parabéns pela matéria!! Minha filha tem 9 anos e está no 4 ano, mas tem muita dificuldade nas matéria que necessitam de memorização como historia, geofrafia, ciências e português. Estou muito preocupada, será que você poderia me horientar?

e- mail dannybiscuit2@gmail.com

Bjs
Danny

Rosemary Silva disse...

Boa Noite, busco por mais clareza em relação a meu filho, Ele está completando 5 anos é Gêmeos, andou com 1 e 8 meses, fala mas não dialoga; já está juntando sílabas, reconhece letras e números, mas na hora da escrita mal consegue escrever um A ou um O. Consegue me identificar o que ocorre com Ele? Está na pré-escola e seu caderno é só rabisco, quando tem alguma forma especifica é quando seguramos na mão dele para ajudá-lo a escrever. Que tipo de ajuda e qual profissional deve procurar para ajudar meu filho? Aguardo ansiosa seu contato.(rosemarysilva10@yahoo.com.br)
Grata pela atenção
Rose

ty disse...

Oi!!! Parabens pelo seu blog. sou mãe de um menino de 3 anos e a professora dele diz que ele não faz as atividades em classe, não desenha, só rabisca e joga caneta, lapis nos amiguinhos da escola mas que também pede desculpas, sabe que não pode machucar, disse para eu ir conversando com ele em casa. Fiquei muito preocupada pois em casa ele é muito carinhoso e nunca observei comportamento agressivo nele. se voce puder me instruir de qualquer forma agradeceria

lenecariosa disse...

boa noite meu nome e edilene e meu filho e breno luis ele tem 6anos e nao sabe nada quando ele tinha 5anos ele tentou se matar na escola mas foi deus que o protegeu pois eu bati um eletro com mapeamento celebral e deu disvio fora de normalidade pois trato com psicologos ,fono,psipedagogos,pois hoje fui conversar com a professora dele e ela me falou que ele inves de fazer letras ele escreve simbolos e os desenhos dele e estranho para idade dele ele estar no primeiro ano e nao sabe nada eu quero resposta e ninguem sabe me dizer nada me ajude!!!

Elaine Silva disse...

Ola...gostei muito do seu artigo...gostaria de pedir uma ajuda..tenho uma aluna com dislexia, ela tem apenas 5 anos, ja se passaram 1 semestre e ela não evoluiu significativamente...ela não entende o que eu falo...como posso estar trabalhando com ela nesse aspecto, o da aprendizagem,assimilação do som e da imagem. profelainesilva@outlook.com muito obrigada!

Elaine Silva disse...

Olá...adorei sua pulblicaçao, gostaria de saber se vc poderia me orientar de como ensinar uma criança com dislexia. Ela tem apenas 5 anos. Obrigda. profelainesilva@outlook.com